segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A DANÇA DO VENTRE EM MINHA VIDA - texto da aluna Denise Andréa Silva de Souza

Este ano as coisas não aconteceram como o previsto. Na verdade, tudo o que havia sido sonhado durante anos e o trabalho de dois anos de muita paciência e dedicação resultaram em frustração acadêmica e profissional. O mestrado foi trancado, o estágio não resultou em contratação, perdi a bolsa da faculdade, meu projeto ficou sem financiamento e eu fiquei sem rumo... Foi quando me deparei com a triste realidade de muitos brasileiros que se formam, planejam mudar o mundo e acabam tendo que vender bananas numa frutaria ou distribuir panfletos na rua. Eu, fui vender roupas...
Assim, em meio à frustração profissional e, por que não? , pessoal, entrei num estado de desilução e completo desinteresse pelas coisas e desgosto na vida. Foi quando percebi que não podia continuar assim, que precisava de algo que me desse prazer, me trouxesse entusiasmo e que, ao mesmo tempo, fosse um exercício de superação. Foi quando descobri a dança: a DANÇA DO VENTRE. Nunca fui boa dançarina, aliás, não dançava porque tinha vergonha do meu corpo e temia o julgamento das outras pessoas. As aulas não foram fáceis, tinha que vencer minha própria barreira, aquela que me dizia que eu não conseguiria, que eu não sabia dançar, que eu não servia pra isso... Hoje, a cada aula, descubro que eu posso fazer mais e melhor, que a dança do ventre é um remédio potente e eficaz para o corpo, que se flexibiliza e ganha graciosidade, e para a mente, que se supera e, na superação, percebe o quanto nós somos capazes e quanta coisa boa está só nos esperando descobri-las, espantando, assim, o tédio de viver.
É tão contagiante a energia desta dança, que penso nela todo dia e minha aula semanal é uma dose de ânimo que me faz superar os desafios de cada dia. Porque quando você dança, você se conecta consigo mesma e descobre a pessoa maravilhosa que você é!

Obs.: com este texto inspirador, a aluna Denise ganhou o concurso de textos, parabéns, querida, e obrigada pelo lindo texto!

Nenhum comentário: