domingo, 17 de julho de 2011

O VEU NA DANCA DO VENTRE, E A DANCA DOS SETE VEUS

Uma das coisas mais dificeis na danca do ventre eh conseguir informacoes precisas sobre a historia desta arte. Como eh muito antiga, e quase nao documentada, algumas pessoas `super criativas` inventam o que querem. Um dos mitos da danca do ventre fala sobre o uso do veu. Algumas pessoas dizem que o uso do veu eh muito antigo, que as sacertotisas do Antigo Egito usavam nos templos, e outras baboseiras.
Na verdade, o veu foi introduzido na decada de 40, pela bailarina e coreografa russa Anna Ivanova, que sugeriu o seu uso para a grande dancarina Samia Gamal. Nesta epoca, a dancarina apenas entrava com o veu e logo o descartava. Mas foram as dancarinas americanas as divulgadoras do veu na danca do ventre, e a maior parte dos movimentos com veus foram desenvolvidos por elas.
Junto com esta desinformacao sobre o veu na danca do ventre, vem o mito da danca dos sete veus. Dizem que esta danca faz alusao ao mito da deusa egipcia Ishitar, que as cores estao ligadas aos sete chakras do corpo, que foi feita pela Salome (aquela que pediu a cabeca de Joao Batista). Tudo bobagem! Se a introducao do veu na danca do ventre remonta a decada de 40, como poderia ter sido dancada no Antigo Egito, ou por Salome?
Na verdade, nao existe informacao sobre quem inventou esta danca, ou desde quando ela existe. No filme `Salome`, podemos ver a artista americana Rita Hayworth fazer a danca dos sete veus, e eh bem provavel que ela tenha sido criada para este filme.
Outra coisa que diverge nas informacoes sobre a danca dos sete veus sao as cores, e qual a sequencia da retirada dos veus. Uma das fontes que encontrei diz que o primeiro veu a ser retirado deve ser o vermelho, em outra fonte pede-se para retirar o branco. O que fazer, entao? Num cenario destes, penso que a coreografa tem total liberdade para criar, desde que use o bom senso e nao apele para o erotismo. Nao estamos falando de strip tease, e sim de arte - embora algumas pessoas confundam as coisas.

Nenhum comentário: