domingo, 14 de agosto de 2011

COMPOSIÇÃO COREOGRÁFICA NA DANÇA DO VENTRE - TEXTO DE MELLISSA MEL

Meninas, este texto é de autoria da professora e dançarina Mellissa Mel, e foi apresentado no V Encontro da Griffe Marilin. O texto é riquíssimo, um excelente material de estudo, imprescindível para quem está aprendendo a montar coreografias. Aconselho vocês a lerem antes o meu texto "O que é dança do ventre clássica", para se familiarizarem com alguns termos técnicos. A professora Mellissa gentilmente autorizou o uso deste texto no meu blog, e aqui vai o meu muito obrigada. Valeu, Mel!

COMPOSICAO COREOGRAFICA NA DANCA DO VENTRE

Como montar sua coreografia

1) Escolha a música

Escolha uma música curta e que tenha mudanças de ritmo. Caso planeje utilizar um instrumento, tenha certeza que ela é adequada a ele.

2) Estude a música

- Qual a origem desta música? Egípcia, libanesa, turca, grega, americana (nota: as músicas egípcias geralmente são mais alegres e sonoras, as libanesas geralmente são dabkes).
- Qual o estilo? Moderna, clássica (tarab/sharky), solo derback, folclore, tribal, fusão (nota: sharky é a música do ventre clássica).
- Qual o artista? Pesquise sobre o seu trabalho.
- Qual o tema da música? Ache a letra dela e descubra seu significado.
- Quais os ritmos usados? O folclore aparece?
- Quais os instrumentos que aparecem? Nay, violino, alaúde, acordeon...
- Qual o figurino adequado
- Assista a outras pessoas dancando a mesma música.

3) Divida a música em partes

- Identifique a estrutura da música.
Ex. Sharky: entrada - refrão - variação do refrão - folclore - takasim - refrão - final.
Pop: introdução - refrão - coro - takasim - refrão - final.

- Divisão por ritmos
Ex. Sharky: ayoub - maqsoum - saiidi/soudi - wahda u nos - malfouf.

- Aprenda a anotar todas essas informações.
Ex.
0 - introducão
00:40 - entrada (malfouf)
01:05 - solinho de derbake e repete a entrada
01:48 - saiidi (melodia 2)
02:27 - masmoudi
02:58 - repete melodia 2 mas com acentos do derback
03:17 - saiidi - folclore
03:55 - solo de derback
04:09 - malfouf e violinos
04:25 - takasim de alaúde
04:50 - malfouf e violinos com acentos
05:13 - final (repete a entrada)
05:33 - solinho de derback e final

4) Planeje seus passos

- Como será sua entrada no palco
A primeira impressã é a que fica! O público gastará os primeiros momentos da sua dança prestando a atenção em você e seu figurino, se acostumando com a música e com sua presença. Não queime 457 movimentos já nos primeiros 20 segundos! Use movimentos simples de deslocamento aliados a giros, "cumprimente" sua platéia, estabeleça contato deixe que eles te vejam e coloque-se no centro do palco para passar para a próxima etapa.

- Centro do palco
Aqui é o lugar onde a platéia poderá enxergar bem você e todos os seus movimentos. Use-o em momento onde você quer usar seus movimentos especiais e sequências mais complexas. Procure finalizar sua coreografia aqui também.

- "Viajando" pelo palco
Use o palco das maneiras mais variadas que você possa imaginar. Utilize todas as direções, diagonais, deslocamento para frente e para trás, use os cantos do palco, desenhe círculos. Deixe sua coreografia dinâmica e variada.

- Momento dramático
Localize este momento na música e use-o como um desafio pessoal. Ele tornará sua coreografia mais interessante e longe de ser monótona.

- Folclore
Identifique o estilo e escolha alguns movimentos mais característicos do estilo em questão para serem trabalhados.

5) Identifique cada variação de "humor" da música

Dê nomes que ajudem você a identificá-los - alegre, triste, suave, sexy, etc. Qual movimento te remete cada uma dessas características

6) Anote os passos para cada parte

Depois de todo o trabalho que já foi feito anteriormente essa parte deve ser mais fácil! Experimente colocar o corpo em ação, coloque a música e dance até que venha alguma coisa que te agrade.
Anote todos os passos e seus tempos. Comece simples e vá adicionando os detalhes: braços e molduras, cabeça e foco, direções e sentidos dos movimentos.

7) Deixe ela interessante

Toda a parte de mapeamento dos passos é muito importante mas não se esqueça do público. Faça algo que faça ele se divertir e seja interessante de assistir!
Não seja repetitiva. Caso você queira repetir alguma sequência, use outras direções, novos posicionamentos de braços, adicione shimmy, para evitar que sua repetição seja... repetitiva!
Trabalhe com vários ângulos de visão, diagonais, de costas, diagonais-fundo. Experimente novos posicionamentos.
Varie as velocidades. Dentro de um mesmo ritmo você poderá trabalhar mais rápido que ele (dobrando a velocidade), dentro do ritmo ou até mesmo na metade da contagem (ralentando).
Use o espaço ao redor do seu corpo. Não fique de frente, com os pés no chão e os braços em segunda posição como uma samambaia. Trabalhe com seu tronco, braços, pernas. Use os níveis alto, médio e baixo.

8) Enriqueça com detalhes

Braços e molduras. Não deixem eles largados à própria sorte. Eles devem acompanhar sua dança e emoldurar seus movimentos. Não deixem eles parados!
Cabeça e foco.
Para onde você olhar durante sua dança. Você consegue marcar foco durante seus deslocamentos e giros.

9) Coloque sua coreografia em ação

Agora que ela está pronta mexa seu corpo. Ensaie, ensaie e ensaie.
Durante os ensaios é que vão surgir dúvidas, novos movimentos e detalhes que você não tinha ouvido antes na música.
Grave sua dança e assista!





2 comentários:

Daniella Sarah disse...

Olá ! gostei muito da publicação sobre como criar coreografias,
vai em me enriquecer muito como bailarina e professora.Parabéns.

Aziza Mahaila disse...

Que bom que voce gostou, Daniella! Tudo de bom pra voce, sucesso!